Busca
Faça uma busca por todo
o conteúdo do site:
   
Home
Acesso à informação
Atendimento Presencial
Atualização Cadastral
Áreas de Atuação Profissional
Biblioteca
Bolsa de Empregos
Cadastro de Cursos
Certidões
Comissões Técnicas
Competências e Estrutura Organizacional
Concursos Públicos (CRQ-IV)
Consulta de Registros
Cursos e Palestras
Dia do Profissional da Química
Downloads
E-Prevenção
Eventos
Espaços para Eventos
Fale Conosco
Fiscalização
Informativos
Juramento
Jurisprudência
Legislação
Licitações
Linha do Tempo
Links
Localização
Logística reversa - Convênio
Noticiário
Ouvidoria
PDQ
Peritos Químicos
Planos de Saúde
Prêmios
Prestação de Contas
Publicações
QuímicaViva
Selo de Qualidade
Simplifique
Sorteios
Termos de privacidade
Transparência Pública
 
Borrachas - Conselho Regional de Química - IV Região

Borrachas 

 


 

 

A borracha é um material de enorme importância econômica e estratégica. Os transportes, a indústria química, a engenharia e a indústria elétrica e eletrônica são grandes consumidores de borracha. As borrachas podem ser naturais, extraídas sobretudo da seringueira Hevea brasilensis, e sintéticas, obtidas principalmente a partir de derivados de petróleo.

A borracha natural (NR) é obtida por coagulação do látex, principalmente de árvores do gênero Hevea brasiliensis (seringueira). A coagulação é feita sob calor e com a adição de ácido acético, em um processo chamado de acidificação. Quanto mais controlada a acidificação, maior a qualidade da borracha natural. A borracha natural, por este motivo, apresenta grande variação de qualidade.

As borrachas sintéticas são materiais elastoméricos que possuem capacidade de retornar à forma original quando submetidos a um esforço ou deformação externa, ou seja, são produtos com grande elasticidade. Foram desenvolvidas nas primeiras décadas do século XX nos Estados Unidos e na Alemanha, como substitutas da borracha natural. As borrachas sintéticas têm como base os copolímeros (polímeros derivados de mais de uma espécie de monômero) de estireno e butadieno.

Em seu processamento industrial, as borrachas recebem aditivos, alguns inertes, outros de reforço de estrutura, e alguns que conferem cor, odor e resistência, entre diferentes características. O processamento industrial inclui a vulcanização, que consiste no aquecimento do composto com um agente de vulcanização, geralmente enxofre, e um acelerador de reação (catalisador). Com a vulcanização, o material passa do estado plástico para o elástico e com características definidas e estáveis de dureza, resistência mecânica, elasticidade, entre outras.

A indústria automobilística é a maior consumidora de borrachas, mas outros setores produtivos também se destacam, como os de calçados, mineração e siderurgia, eletroeletrônicos e eletrodomésticos, de entretenimento (para fabricação de brinquedos, máscaras, balões), saúde (para produção de luvas cirúrgicas, preservativos, tubos cirúrgicos, bicos de mamadeira), indústria petroquímica, construção civil e saneamento.

A presença do profissional da química é fundamental na indústria de borrachas. Ele atua no desenvolvimento da formulação da borracha e no controle de qualidade das matérias-primas e dos produtos. Ao receber a matéria-prima ele precisa verificar a qualidade e suas especificações para definir, a partir daí, a melhor formulação para o produto que deseja fabricar. No caso da borracha natural, o profissional da química verifica, por exemplo, o teor de umidade e a presença de contaminantes, que podem interferir no processo produtivo.

A atuação do profissional da química também é fundamental na condução do processo de produção dos artefatos de borracha, já que controla as reações químicas e evita a ocorrência de reações indesejáveis, como a degradação oxidativa ou a decomposição térmica com a formação de outros compostos químicos, o que poderia alterar sensivelmente as características do produto final.

Clique aqui para ler mais sobre este a produção de borrachas.

 

 

Compartilhe:
Copyright CRQ4 - Conselho Regional de Química 4ª Região